5 dicas de como ser um bom cliente oculto

Ser um cliente oculto é uma tarefa muito importante. Para quem se propõe a esse papel, é a chance de garantir uma renda extra e usar a própria opinião e visão analítica para melhorar diversos serviços. Para as empresas, é uma forma de coletar informações indispensáveis para obter um desempenho diferenciado.

A melhor forma de garantir que as duas partes saiam satisfeitas é por meio da otimização da sua atuação. Ao receber a missão de avaliar um empreendimento, algumas táticas fazem com que tenha um desempenho ainda maior.

Quer descobrir como ser um bom cliente oculto? Veja 5 dicas e desvende esse mistério!

1. Mantenha a discrição

Um dos grandes trunfos de realizar uma avaliação oculta é poder observar como o negócio é na maior parte do tempo. Porém, esse efeito pode ser arruinado se disser ou deixar transparecer que é um cliente oculto. Caso alguém saiba ou perceba, a experiência será completamente diferente.

Então, em toda a sua atuação é preciso ser discreto. Não faça anotações na frente dos colaboradores e nem explique do que se trata. O ideal é agir com naturalidade e como qualquer outro consumidor faria, pois é isso que conta para a avaliação.

2. Preste atenção em todo o processo

Imagine que você será o cliente oculto de uma agência bancária. Ao chegar até o atendente, não consegue se lembrar de que a missão era pedir para abrir uma conta. Em vez disso, solicita a realização de um saque. Na hora de fazer a avaliação, é impossível oferecer um feedback concreto, não é?

Então, é fundamental prestar atenção em todas as etapas e seguir as instruções. Entenda o que deve ser avaliado e conheça muito bem os objetivos com a atividade. Durante o atendimento, tenha total foco em analisar e guardar a experiência. Assim, é mais fácil preencher as respostas no momento de apresentar suas impressões.

3. Não se esqueça dos comprovantes

É comum que o cliente oculto tenha que fazer alguma compra ou operação financeira no negócio. Depois, quando a avaliação é aprovada, ocorre o reembolso acordado. Porém, isso não é possível sem os comprovantes. Então, não se esqueça de solicitar o recibo ou nota fiscal, por exemplo.

Também é válido pedir o cartão do funcionário que o atendeu ou as informações da equipe responsável. Desde que isso seja feito com naturalidade, é uma maneira extra de acrescentar valor à sua avaliação.

4. Busque a capacitação como cliente oculto

Para realizar análises consistentes e com informações valiosas não basta apenas dar a sua opinião. É preciso ser descritivo, apresentar os dados de forma valiosa e saber responder às perguntas do jeito certo. O melhor caminho para ter sucesso em tudo isso é ao entender, em primeiro lugar, o que e como avaliar.

Então, vale muito a pena buscar a capacitação para atuar na função. Procure manuais, certificações e até tutoriais sobre o tema. Quanto mais você souber como agir, mais preparado estará para fazer boas análises.

5. Entenda a importância da metodologia

Todas essas práticas são necessárias para ser um cliente oculto, mas uma dica extra pode ajudá-lo ainda mais: o reconhecimento da relevância da atividade. Ao entender que essa tarefa orientará a gestão a tomar uma decisão, fica fácil agir com responsabilidade e comprometimento.

Antes de aceitar qualquer avaliação ou de dar início ao processo, entenda muito bem a empresa, os seus objetivos e como você é uma peça fundamental na atuação empresarial. Assim, suas qualidades serão especialmente destacadas!

Ao seguir essas orientações, você terá a oportunidade de ser um bom cliente oculto. Além de ajudar a complementar a renda, a atuação consistente melhora a sua reputação e garante mais atividades!

Ficou com alguma questão sobre o tema? Use o espaço nos comentários e participe!